Notas Musicais

Mike Shinoda: “Parte de mim é o Linkin Park e ver isso mudar, senti como se eu tivesse acabado!”

Mike Shinoda: “Parte de mim é o Linkin Park e ver isso mudar, senti como se eu tivesse acabado!”

Quando o Chester faleceu, eu não conseguia ficar longe do estúdio e acabei fazendo algumas músicas, algo que estava fazendo somente para benefício próprio. Mas, percebi que tinha bastante material, comecei a juntar as músicas e acabei lançando três: ‘A Place To Start’, ‘Watching As I Fall’ e ‘Over Again’. Essas são as mais pesadas porque foram as primeiras que fiz e como qualquer pessoa que passa por isso, eu tinha muitas questões em mente, sobre onde eu estava e sobre que estava acontecendo e isso resultou em um álbum que será lançado no dia 15 de junho. As outras músicas não são tão profundas quanto as primeiras, mas eu só estava escrevendo coisas em que estava pensando e sobre tudo que estava acontecendo. Acho que isso me ajudou a passar por tudo, assim como ajudou os fãs e os fizeram perceberem onde eu estava. Então, tenho tido um bom momento. Acho que você pode ouvir sobre o que aconteceu com ele e sobre o que aconteceu comigo, isso pode parecer triste, mas acho que é o oposto, às vezes, você enfrenta situações difíceis e tem que tentar sair disso.

A banda: Nós ainda estamos tentando entender tudo isso. Acho que varia de um cara para o outro. Outro dia eu fiz meu primeiro show solo e só havia eu no palco, tocando vários instrumentos e fazendo várias coisas, mas nesse show, o Joe apareceu e tocamos uma música do Linkin Park. O Rob, nosso baterista, não pôde participar durante o show, mas ele estava lá dando apoio. E os outros não puderam estar lá, mas o Dave estava assistindo a transmissão e estava até mandando mensagens. Eles são todos muito solidários, são todos maravilhosos.

Família de Chester: Eles estão bem. Sabe, alguns dias são mais difíceis do que os outros. Nos falamos o tempo todo e minha esposa e a Talinda são bem próximas. Em breve fará um ano que Chester se foi e a Talinda disse que queria poder pular esse dia, queria nem ter que lidar com esse dia e então minha esposa disse: “Espera um pouco… não existe um voo para a Austrália que você faz e acaba perdendo um dia?” e elas acabaram procurando e isso realmente é possível. E então a Talinda disse: “Acho que vou até a Austrália e pular esse dia”. Essa solução foi muito inteligente. Gosto do jeito que elas tratam as coisas com humor.

Jornalismo 92

22 de maio de 2018

Menu Principal